Quarta-feira, 23.05.12

 

 

Depois de escolhidos os locais (Grécia e Jamaica) pelo fotógrafo Raphael Mazzucco, para a sessão fotográfica da nova colecção da Calzedonia,

 

Praia Verão 2012, a modelo portuguesa Sara Sampaio mistura o azul do mar de Balos, com o verde da água cristalina,

 

tudo isto para contrastar com as cores hortelã e água-marinha dos novos biquinis. Ao contrário da Jamaica em que as roupas são mais brilhantes,

coloridas e florais.

 

Esta nova colecção mistura vários estilos para todas as mulheres desde cores fortes com um gosto exótico até aos tons mais pastel.

 

Os conjuntos de praia também são compostos por pareos e acessórios que fazem realçar a forma física.

 

Os franzidos, as lantejoulas e os lacinhos marcam a diferença e estão presentes em todos os modelos e que são ideais para todas as ocasiões à

beira-mar.

 

 

 

 

 

After the chosen locations (Greece and Jamaica) by photographer Raphael Mazzucco, to shoot the new collection of Calzedonia,


Beach Summer 2012, the Portuguese model Sara Sampaio mixing the blue sea of Balos, with the green crystal clear water,


all that in contrast to the colors mint and aquamarine of new bikinis. Unlike Jamaica where the clothes are bright, colorful and floral.


This new collection mixes various styles for all women with a strong color from exotic taste to the more pastel shades.


The sets of beach also comprise pareos and fittings enhance the physical form.


The ruffles, sequins and bows to make a difference and are present in all models and are ideal for all occasions to the sea.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Feito Por: Telma Almeida





publicado por stylolisboa às 17:16 | link do post | comentar | ver comentários (1)
|

Terça-feira, 22.05.12

 

 

 

 

 

 

Jeffrey Campbell surgiu em 2000, com uma pequena empresa familiar em ascenção.

 

Criando uma linha de sapatos (e vestuário), conhecidos em todo o mundo, o objectivo de Jeffrey Campbell foi,

 

criar calçado de maneira a capturar a essência das ruas, misturado com um estilo Vintage.

 

A sua paixão e o seu trabalho àrduo, fazem com que a sua marca já seja global.

 

Para todas as jovens, que querem para este Verão um look fresco e sexy, não percam a nova colecção Jeffrey Campbell com cores vivas,

 

excêntricas e florais.

 

Ah, e claro os vertiginosos saltos e plataformas altas aos quais já estamos habituadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jeffrey Campbell appeared in 2000, with a small family business on the rise.


Creating a line of shoes (and clothing), known worldwide, the aim of Jeffrey Campbell shoes was,

 

to create a way to capture the essence of the streets, mixed with a vintage style.


His passion and hard work, make sure your brand is already global.


For all young people who want this summer to a cool and sexy look, do not miss the new Jeffrey Campbell collection

 

with bright colors, eccentric and floral.

 

Oh and of course the vertiginous high heels and platforms to which we are accustomed.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Feito por: Telma Almeida


 



publicado por stylolisboa às 13:03 | link do post | comentar
|

Quinta-feira, 19.04.12

A concretização pessoal acima de tudo. Uma frase que poderia descrever na perfeição o percurso de vida tomado até agora pelo jovem estilista João Pedro Estelita Mendonça. Com apenas 24 anos de idade evidenciou-se pelo seu talento. Prova disso foi a sua mais recente participação na 30 edição do Portugal Fashion, onde apresentou a sua colecção Outono/Inverno em Lisboa e no Porto.

 

 

 

 

 

 

 

Concluiu o ensino secundário na área de Ciências ingressando de seguida no curso de Recursos Humanos. No entanto rapidamente percebeu que essa não seria a sua vocação. Desde pequeno que “gostava de coordenar a roupa para o dia seguinte, de ter um cuidado exagerado com o que tinha vestido e de ter uma peça preferida”, afirma. Assim descobriu a Academia de Moda do Porto “que tinha a mais-valia de ser ao lado de casa e inscrevi-me”.

 

No entanto o trabalho desenvolvido no mundo da moda já tinha começado. Por volta dos 16 anos João frequentava um curso para manequins. “Durante o curso apercebi-me que apreciava muito mais a parte de produção, de make up, dos bastidores do que propriamente da passerelle. Comecei a trabalhar como make up artist mas também percebi rapidamente que ainda não era aquilo e decidi experimentar o design de moda. Apaixonei-me imediatamente pela versatilidade artística que o curso me ofereceu e decidi investir.”

 

Desde então tem participado em vários concursos para jovens criadores. A sua primeira experiência foi com o exponoivos mas as melhores recordações surgem quando relembra a sua participação no concurso Acrobatic. “ Acho que foi ai que percebi, “ é mesmo isto que eu quero”. Sabia que a sua colecção ainda não estava ao nível que pretendia e que existiam concorrentes mais fortes mas “sentia-me a competir, gostei disso e queria mais. Acho que fiquei viciado em criar moda. Para mim criar é mostrar um bocadinho do que nos somos e é isso que me fascina.”, afirma.

 

 

 

 

 Lookbook da sua mais recente colecção Out/Inv 

 

 

 

 

O convite para a participação na 30º edição do Portugal Fashion surgiu através de um telefonema efectuado por Miguel Flôr, coordenador do espaço Bloom e ex. professor de João. “Fiquei ainda mais hiperactivo. Acabei a semana de férias e voltei para o Porto já com a colecção desenhada pronto a investigar tecidos e a confeccionar tudo”. Assim, quer no Porto quer em Lisboa, pudemos assistir à apresentação da mais recente colecção do estilista. Um trabalho baseado essencialmente na problemática da movimentação de pessoas pelo mundo e pela absorção, destas, de novas culturas e costumes. “Como será estar com eles daqui a vinte anos quando já tiverem vivido no México, na Holanda, na Austrália e etc., e tiverem adquirido costumes em todos estes sítios? Que fusão de costumes pode sair dali?”, interroga-se.

 

Para o futuro João tem já reservados alguns planos. A indústria é um ponto a atingir uma vez que a considera um foco de aprendizagem. No entanto a sua verdadeira ambição passa por conseguir viver da criação de moda.

 

 

 

 

Desfile Portugal Fashion /Alfândega do Porto

 

 

 

 

Por: Raquel Rebelo



publicado por stylolisboa às 10:38 | link do post | comentar
|

Segunda-feira, 26.03.12

A semana começou hoje mas deixamos já uma sugestão para o próximo fim-de-semana para que seja planeado da melhor forma.

 

No próximo fim-de-semana O Mercado da Ribeira no Cais do Sodré recebe a 3ª edição do My Stock, que se realiza no primeiro fim-de-semana de cada mês, as portas estarão abertas das 10h às 18h.

 

O My Stock é para aqueles que têm caixas cheias cujo conteúdo já está esquecido, um armário com colecções antigas e que já não é aberto há séculos, brinquedos que mal foram usados, peças de vestuário que ficaram a ocupar espaço... Ou qualquer outra coisa, nova ou usada, que está em casa mas que já não tem utilidade...Esta é uma boa oportunidade para encher o porta-bagagens do carro com todas essas coisas e vendê-las. Para participar basta enviar um e-mail para mystock@banzai.pt.

É também uma boa oportunidade para fazer compras não só pelos preços acessíveis, mas também pela possibilidade de encontrar peças que possivelmente já não estão no mercado.

 

O que não é útil para uns pode ser para outros!

 

Para além desta troca, no final do segundo dia as instituições são convidadas a ir ao Mercado da Ribeira e recolher os objectos que os vendedores estão dispostos a doar. A organização apela também a que os visitantes levem objectos para doar.

 

Aqui ficam fotografias do último mercado, cedidas pela Banzai

 

 

 

 


 

 

 


 

 

 

Catarina Gonzaga

 



tags:

publicado por stylolisboa às 17:44 | link do post | comentar | ver comentários (1)
|

Sábado, 24.03.12

 

A criadora portuguesa que vive à quase dez anos em Londres apresentou a sua colecção no Portugal Fashion, depois de a ter apresentado em Kuala Lumpur, Malásia, que conta com o apoio do Portugal Fashion, prosseguindo «a estratégia de promoção internacional da moda portuguesa».

 

No espaço Bloom, Susana Bettencourt anunciou um trabalho baseado nas malhas e nas rendas tradicionais.

Uma mulher descontraída marcou o desfile, mas sem nunca perder a elegância e a sensualidade feminina.

Esta foi uma linha com cores que irão tornar o próximo Inverno muito divertido e alegre.

 

A estilista propôs assim uma colecção em que predominam os vestidos e sais, em cores que vão desde o azul, ao preto, ao castanho, com acabamentos em branco, vermelho e dourados.

 

Por: Daniela Santos

 

 

 

 

 

 

 

(Imagens: Portugal Fashion)



publicado por stylolisboa às 20:00 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 23.03.12

No Porto foi Jordann Santos quem inaugurou o espaço Bloom. Num espectáculo que nos transportou para um universo medieval, o estilista deu a conhecer as suas propostas para a próxima estação.

 

 “La Hire”, caracterizou-se como uma colecção extremamente vincada pela utilização de diferentes texturas. As peças surgiam com tecidos que variavam entre brocados de seda, napas, malhas, sarjas e algodões.

 

As cores predominantes foram o preto, o verde, o azul, o castanho e khaki.

 

As silhuetas aparecem bastante estruturadas, com linhas exactas e formas fortes. As saias compridas com um corte singular tornam-se a peça chave da apresentação.

 

 A mulher é representada como uma guerreira que não esquece o seu lado mais sensível e feminino. O vigor das formas é ultrapassado pela sofisticação dos detalhes.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por: Raquel Rebelo


publicado por stylolisboa às 22:34 | link do post | comentar
|

Fernando Lopes e Hugo Veiga tiveram as honras de abertura do terceiro dia do Portugal
Fashion no Porto.

O desporto esteve na base da inspiração para a colecção da dupla que assina a marca LiV.

Através de uma linha completamente jovem, a dupla conseguiu conjugar a feminilidade e a força conjuntamente com novos jogos gráficos.

“La Hire” contou com cores como o preto, azul, nude e amarelos que davam uma vivacidade extraordinária aos looks.

 

Por: Daniela Santos

 

 

(Fotos: Arara Pintada)



publicado por stylolisboa às 21:07 | link do post | comentar
|

A calçada portuguesa nunca teve tanto destaque. Depois das apresentações efectuadas em Paris e Lisboa, Luís Buchinho, agora na cidade invicta, apresenta uma derivante da sua mais recente colecção de inverno. Numa exibição completamente dedicada às malhas o estilista presenteou-nos com peças que apelam ao conforto feminino.

 

A sala, repleta de uma luz branca intensa que enfatizava o tom cinzento predominante, nomeadamente dos pilares de pedra que a sustentavam, seria a que daria lugar aos desfiles correspondentes ao espaço Bloom. Foi Luís Buchinho quem a inaugurou com a sua colecção knitwear. As peças não fugiram ao que já tinha sido apresentado. O tema foi a calçada portuguesa, que desta vez surge com menos padrões invocando desta forma uma espécie de simplicidade. As silhuetas estruturadas e geométricas mantiveram-se bem como os tons escuros de azul, verde e rosa. Em declarações à revista Vogue portuguesa, Luís Buchinho refere que “é uma colecção muito mais gráfica, mais limpa, com muito mais cor, mas acima de tudo, é uma linha na qual procuro imprimir algum conforto à sofisticação".

 

O ambiente entusiasmante de toda a cena deveu-se não tanto ao espaço ou à colecção mas sim à junção de ambos com o que podemos chamar de “escolha musical acertada”. “Look Me In The Eye Sister” dos Groove Armada e “Under your Spell”, música que fez parte da banda sonora do recente filme “Drive”, fizeram as delícias de quem assistia ao desfile. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por: Raquel Rebelo


publicado por stylolisboa às 01:30 | link do post | comentar
|

Quinta-feira, 22.03.12

Neste primeiro dia de Portugal Fashion o designer formado pela Academia de Moda do Porto, Júlio Tocarto mostra  uma colecção direccionada para o público masculino inspirada num poema de Alberto Caeiro.

A inspiração vinda deste heterónimo de Fernando Pessoa resultou num retrato da natureza admirada por Caeiro com fatos tradicionais de três botões e de trespasse reinventados para o homem moderno e urbano,  camisas com aplicações em pele,malhas tingidas que retomam a memória das folhas de Outono e calças que variam entre o slim e o baggy. As cores preto, cinza, azul e verde floresta foram as escolhidas para a colecção

Porque,

 

"Antes o vôo da ave, que passa e não deixa rasto, 
Que a passagem do animal, que fica lembrada no chão. 
A ave passa e esquece, e assim deve ser. 
O animal, onde já não está e por isso de nada serve, 
Mostra que já esteve, o que não serve para nada. 
A recordação é uma traição à Natureza, 
Porque a Natureza de ontem não é Natureza. 
O que foi não é nada, e lembrar é não ver. 
Passa, ave, passa, e ensina-me a passar! "

 

 

Catarina Gonzaga



publicado por stylolisboa às 23:30 | link do post | comentar
|

Coube ao estilista Ricardo Preto o privilégio de inaugurar a passarela portuense. Com padrões arrojados, elementos éticos, esta é uma colecção marcada por linhas exóticas que nos convidam a viajar por paisagens longínquas que fazem parte do mais profundo do nosso imaginário.  

 

Inspirada nas civilizações perdidas das montanhas sul-americanas às cidades do velho Oeste, a colecção traz-nos um estilo vintage, moderno e actualizado, que transparece elegância.

As suas propostas para este Outono/Inverno 2013 ficaram então marcadas pelo volume dos vestidos que entraram em contraste com algumas peças justas. Foram utilizados materiais como as malhas, os pelos, que prometem aquecer os dias mais frios da próxima estação.

 

A paleta utilizada foi bastante diversificada, já que ia desde cores bastante fortes até as cores mais suaves, como o branco, crú, laranja, tons terra, passando pelos cinzas e pretos. De destacar os acessórios, aos quais foram dado grande destaque, desde os brincos às malas.

 

Em declrarações à Vogue o estilista afirma: "É quase como se a mulher tivesse feito uma recolha de objetos ao longo da sua vida e este guarda-roupa fosse o resultado disso." Acrescenta ainda que: "As minhas silhuetas são sempre femininas, sofisticadas, sem nunca perder o seu cunho comercial. Desço a Avenida da Liberdade, ou passo pelo Príncipe Real, e vejo as minhas roupas nas pessoas que passam. E o que eu quero é ir sempre ao encontro do que o público quer vestir e, em contrapartida, também que o público queira vestir o design que é o meu ADN."

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(MáximaPhoto)

 

Por: Daniela Santos



publicado por stylolisboa às 20:35 | link do post | comentar
|

mais sobre mim
Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Calzedonia - Praia Verão ...

Jeffrey Campbell um nome ...

Estelita Mendonça - Para ...

My stock

Susana Bettencourt

Autopsy by Jordann Santos...

“La Hire” - Fernando Lope...

Luís Buchinho Knitwear - ...

Júlio Torcato outono/inve...

Ricardo Preto

arquivos
tags

aw12

burberry

christopher bailey

cultura

entrevistas

estilistas

eventos

fotografia

jordann santos

london fashion week

maquilhagem

marcas

moda lisboa

portugal fashion

quem somos

street style

tendências

todas as tags

Contador
blogs SAPO
subscrever feeds